Foto: divulgação

Anitta revela por que está falando mais de política: ‘de tanto me cobrarem posição’

Anitta tem se manifestado mais sobre política nos últimos tempos. Além de se posicionar diversas vezes contra o governo do presidente Jair Bolsonaro e a gestão da ex-secretária da Cultura, Regina Duarte, ela chegou a promover uma live com a advogada Gabriela Prioli para ensinar conceitos políticos aos seguidores, bem como uma transmissão com o deputado Felipe Carreras – que virou bate-boca – a respeito de uma emenda a uma Medida Provisória que mudava a cobrança de direitos autorais.

Veja também:
Anitta diz que deputado mentiu e celebra retirada de emenda de direitos autorais

Afinal de contas, por que Anitta passou a se manifestar tanto sobre o assunto por meio das redes sociais? Em recente entrevista ao programa ‘Conversa com Bial’, de Pedro Bial, na TV Globo, a artista declarou que cedeu à pressão do público, que cobrava por um posicionamento por parte dela.

“Na internet as pessoas cobram tanto que a gente tenha uma posição política que fez eu me questionar: ‘Como vou ter uma posição se eu não entendo nada do que estão me pedindo? Preciso começar a entender”, disse, na entrevista veiculada na última quarta-feira (20).

A funkeira recorreu a Gabriela Prioli, sua amiga pessoal, para se informar melhor sobre o assunto. Foi daí, inclusive, que surgiu a ideia de promover lives com a parceira para discutir o assunto, ainda que em tom de ensino dos conceitos, já que a iniciativa é chamada ‘Aula de Política’.

Veja também:
Anitta critica Regina Duarte por entrevista: 'enaltecer tempos de ditadura me causa medo'

“Quando começaram a me cobrar, fui logo pedir a ela para me ensinar, para que eu pudesse aprender e saber como poderia me posicionar. A Gabriela é bem imparcial e não é tendenciosa. Ela me ensina os dois lados e eu escolho a minha maneira de pensar”, afirmou.

Por fim, a cantora revelou que tem gostado de abordar o assunto. A artista compreende que muitas pessoas não tiveram o ensino adequado sobre política. “Assim como eu não entendia nada de política, tem muita gente que não entende também e não tem acesso à informação, porque o ensino no nosso país é muito complicado. É importante ficarmos informados, pois estamos vivendo em um momento difícil e com muita briga política acontecendo”, disse.

Pandemia atrapalhou planos de Anitta

A pandemia do novo coronavírus fez com que Anitta adiasse ou até cancelasse alguns de seus planos. A cantora está fazendo lives e ganhou um programa no Multishow, ‘Anitta Dentro da Casinha’, mas não era bem isso que ela deveria estar fazendo: a agenda da funkeira, especialmente internacional, foi bastante afetada.

“Tinha várias coisas já marcadas para acontecer e não aconteceram. Estamos tentando ver como é que vai ser feito, principalmente por conta do festival Coachella (nos Estados Unidos), a gente tinha bons frutos pra colher… turnê europeia, por causa do verão europeu, lançamento de álbum, lançamento de clipe, vários programas de TV gigantescos lá fora. Quando veio o anúncio da pandemia, foi uma semana que eu chorei muito”, disse.

Veja também:
Manu Gavassi elogia Anitta mesmo após suposta treta e campanha para tirá-la do 'BBB'

Críticas a Bolsonaro

Após as críticas que recebeu por não ter se posicionado durante as eleições presidenciais de 2018, Anitta tem se manifestado um pouco mais na internet. Em agosto de 2019, por exemplo, ela indicou que realmente não votou em Jair Bolsonaro ao dizer, em entrevista à ‘Marie Claire’, que o candidato escolhido por ela não venceu o pleito.

No mesmo mês, a funkeira fez um post para criticar a decisão do governo de suspender editais da Ancine para produção LGBTQ no país, além de se posicionar contra a forma como o Brasil estava lidando com as queimadas na Amazônia. Ela ressaltou: “Não estou aqui para falar de política. Não sou de esquerda, de direita. Não sou apoiadora de PT, de Bolsonaro. De ninguém”.

Veja também:
Zezé di Camargo votaria de novo em Bolsonaro e diz que artistas devem se posicionar

Mais recentemente, em fevereiro deste ano, pelas redes sociais, a artista debochou da decisão do governo dos Estados Unidos, presidido por Donald Trump, de retirar o Brasil e outros 24 países da lista de países em desenvolvimento. “Mas eles não são BFF (melhores amigos)? Senhor Jesus, nos abençoe!”, questionou a cantora.

Já em março, a cantora criticou uma medida que o governo de Jair Bolsonaro pretende tomar no litoral do Brasil para fomentar o turismo: a criação de 73 recifes artificiais e liberar 47 locais para pesca esportiva. A ideia está sendo criticada por especialistas pelo risco ambiental que pode trazer.

“O coronavírus está acabando com tudo e eles ainda não entenderem que a questão do mundo não é essa? É importante a economia e o turismo. Legal, bacana. Mas cadê a economia agora com a saúde entrando em colapso?”, disse ela, na ocasião, pelo Instagram. “Já esqueceu que estava cheio de petróleo nas praias do Nordeste? E aí, quando não puder mais mergulhar, porque já botaram um monte de podrice na água e não vai mais poder encostar na água? como a gente vai adquirir mais turistas para nossa cidade?”, completou.

Veja também:
Bolsonaro defende Gusttavo Lima após restrição às lives; os 2 shows sumiram da internet

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical.

Compartilhar